CONCELHO DE LOUREDO NAS MEMÓRIAS PAROQUIAIS DE 1758

LOUREDO, comarca do Porto


1. Caracterização do concelho
 1.1 Honra e Beetria de Louredo
 1.2 Foral: Louredo, cabeça da honra e beetria de Louredo.
 1.3 Freguesias: Integra Louredo, S. Pedro de Gondalães, S. Tiago da Serra da freguesia de S. Pedro de Ferreira. Compreende mais 3 ou 4 moradores do lugar de Febros, freguesia de Bitarães (Memória de Bitarães) e outras na freguesia de Castelões de Cepeda (lugar de Abadim e Pias) (Memória de Louredo). Integra parte de S. Miguel de Beire que se integra também no concelho de Lousado (comarca de Barcelos); integra parte de Boavista (Memória de Boavista), integra parte de Galegos, a outra à honra de Galegos (Memória de Galegos).
 1.4 Outras referências: Anda-lhe unida a beetria de Galegos.
2. Senhorio e oficialato municipal
 2.1 Senhorio: Coroa. «Não tem senhor particular, se bem há extracto que antigamente elegiam e suplicavam senhor e lho concediam com grandes privilégios os Reis de Portugal» (Memória de Beire).
 2.2 Oficialato: Juiz ordinário que conhece de todas as causas cíveis, crimes e órfãos. As audiências na Honra de Louredo fazem-se às Terças-Feiras (Memória de Louredo). Dois vereadores, 1 vereador da Honra de Louredo, outro vereador da honra de Galegos (Memória de Galegos), procurador, 2 almotacés, meirinho. 3 escrivães e mais 1 da câmara (Memória de Gondalães).
 2.3 Modo de eleição do oficialato:  Juiz ordinário eleito pela câmara da Honra. «Vereadores, almotacé e procurador e meirinho são feitos a votos de toda a Honra, de 3 em 3 anos (Memória de Gondalães). «Para a feitura e eleição do juiz e mais oficiais de justiça se juntam os homens do acordo, e estes dão seus votos em nove juízes e mais oficiais, dos quais o juiz actual com o escrivão da câmara fazem três bolos de cera em que os embrulha e lança-os em uma caixa, fechados e depois em cada um ano se costuma tirar um deles e se faz a dita eleição na 1.ª oitava do Natal (Memória de Louredo).
 2.4 Sede/equipamentos municipais: Em Louredo, está o foral e casa da audiência com seu pelouro (Memória de Louredo).
 2.5 Articulações:  Juiz ordinário subordinado ou sufragâneo à Relação  do Porto. Tem esta Honra também por distrito a Honra de Galegos, a que vai o dito juiz com a câmara fazer correição com varas levantadas (Memória de Louredo).
 2.6 Outras referências: «Há memoria que esta beetria e Honra de Louredo e seus moradores tiveram privilégios antigos
dos senhores reis de nomearem senhor da dita terra e Sua Magestade o confirmar e foral que de presente se acha nesta dita Honra diz que fora da Condessa D. Elvira e depois D. Teresa Rodrigues» (Memória de Louredo). 

in: AS FREGUESIAS DO DISTRITO DO PORTO NAS MEMÓRIAS PAROQUIAIS DE 1758 - Braga 2009
publicado por Rafael às 22:35 | comentar | favorito
tags: